I actually do...

Sábado, 29 de Janeiro de 2011

Nascemos para Amar 

 

Nascemos para amar; a Humanidade
Vai, tarde ou cedo, aos laços da ternura.
Tu és doce atractivo, ó Formosura,
Que encanta, que seduz, que persuade.

 

Enleia-se por gosto a liberdade;
E depois que a paixão na alma se apura,
Alguns então lhe chamam desventura,
Chamam-lhe alguns então felicidade.

 

Qual se abisma nas lôbregas tristezas,
Qual em suaves júbilos discorre,
Com esperanças mil na ideia acesas.

 

Amor ou desfalece, ou pára, ou corre:
E, segundo as diversas naturezas,
Um porfia, este esquece, aquele morre.

 

Bocage, in Sonetos

publicado por Raquel às 19:45
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

Domingo, 23 de Janeiro de 2011

Ternura 

 

Desvio dos teus ombros o lençol,
que é feito de ternura amarrotada,
da frescura que vem depois do sol,
quando depois do sol não vem mais nada...

 

Olho a roupa no chão: que tempestade!
Há restos de ternura pelo meio,
como vultos perdidos na cidade
onde uma tempestade sobreveio...

 

Começas a vestir-te, lentamente,
e é ternura também que vou vestindo,
para enfrentar lá fora aquela gente
que da nossa ternura anda sorrindo...

 

Mas ninguém sonha a pressa com que nós
a despimos assim que estamos sós!

 

David Mourão-Ferreira, in Infinito Pessoal

publicado por Raquel às 00:01
link do post | comentar | favorito

Sábado, 1 de Janeiro de 2011

"A paz é para o mundo o que o fermento é para a massa."

 

Textos Judaicos

seria bom se: a paz fosse todos os dias!
música: John Lennon - Imagine
publicado por Raquel às 18:19
link do post | comentar | favorito

Sábado, 25 de Dezembro de 2010

Chove. É Dia de Natal

 

Chove. É dia de Natal.
Lá para o Norte é melhor:
Há a neve que faz mal,
E o frio que ainda é pior.

E toda a gente é contente
Porque é dia de o ficar.
Chove no Natal presente.
Antes isso que nevar.

Pois apesar de ser esse
O Natal da convenção,
Quando o corpo me arrefece
Tenho o frio e Natal não.

Deixo sentir a quem quadra
E o Natal a quem o fez,
Pois se escrevo ainda outra quadra
Fico gelado dos pés.
 


Fernando Pessoa, in Cancioneiro

seria bom se: fosse tudo mais alegre...
música: Frank Sinatra - Let it snow
publicado por Raquel às 11:08
link do post | comentar | favorito

Segunda-feira, 13 de Dezembro de 2010

Grita

 

Amor, quando chegares à minha fonte distante,

cuida para que não me morda tua voz de ilusão:

que minha dor obscura não morra nas tuas asas,

nem se me afogue a voz em tua garganta de ouro.

 

Quando chegares, Amor

à minha fonte distante,

sê chuva que estiola,

sê baixio que rompe.

 

Desfaz, Amor, o ritmo

destas águas tranquilas:

sabe ser a dor que estremece e que sofre,

sabe ser a angústia que se grita e retorce.

 

Não me dês o olvido.

Não me dês a ilusão.

Porque todas as folhas que na terra caíram

me deixaram de ouro aceso o coração.

 

Quando chegares, Amor

à minha fonte distante,

desvia-me as vertentes,

aperta-me as entranhas.

 

E uma destas tardes - Amor de mãos cruéis -,

ajoelhado, eu te darei graças.

 

Pablo Neruda, in Crepusculário

publicado por Raquel às 00:07
link do post | comentar | favorito

Sábado, 4 de Dezembro de 2010

Soneto do Cativo

 

Se é sem dúvida Amor esta explosão

de tantas sensações contraditórias;

a sórdida mistura das memórias,

tão longe da verdade e da invenção;

 

o espelho deformante; a profusão

de frases insensatas, incensórias;

a cúmplice partilha nas histórias

do que os outros dirão ou não dirão;

 

se é sem dúvida Amor a cobardia

de buscar nos lençóis a mais sombria

razão de encantamento e de desprezo;

 

não há dúvida, Amor, que te não fujo

e que, por ti, tão cego, surdo e sujo,

tenho vivido eternamente preso!

 

David Mourão-Ferreira, in Obra Poética

seria bom se: encontrasse o que procuro!
música: U2 - I still haven't found what I'm looking for
publicado por Raquel às 22:33
link do post | comentar | favorito

Segunda-feira, 22 de Novembro de 2010

Este inferno de amar

 

Este inferno de amar - como eu amo! -

Quem mo pôs aqui n'alma... quem foi?

Esta chama que alenta e consome,

Que é a vida - e que a vida destrói -

Como é que se veio a atear,

Quando - ai quando se há-de ela apagar?

 

Eu não sei, não me lembra: o passado,

A outra vida que dantes vivi

Era um sonho talvez... - foi um sonho -

Em que paz tão serena a dormi!

Oh! que doce era aquele sonhar...

Quem me veio, ai de mim! despertar?

 

Só me lembra que um dia formoso

Eu passei... dava o sol tanta luz!

E os meus olhos, que vagos giravam,

Em seus olhos ardentes os pus.

Que fez ela? eu que fiz? - Não o sei;

Mas nessa hora a viver comecei...

 

Almeida Garrett, in Folhas Caídas

seria bom se: encontrasse o que procuro!
música: U2 - I still haven't found what I'm looking for
publicado por Raquel às 00:12
link do post | comentar | favorito

Domingo, 14 de Novembro de 2010

As sem razões do amor

 

Eu te amo porque te amo.

Não precisas ser amante,

e nem sempre sabes sê-lo.

Eu te amo porque te amo.

Amor é estado de graça

e com amor não se paga.

 

Amor é dado de graça,

é semeado no vento,

na cachoeira, no eclipse.

Amor foge a dicionários

e a regulamentos vários.

 

Eu te amo porque não amo

bastante ou de mais a mim.

Porque amor não se troca,

não se conjuga nem se ama.

Porque amor é amor a nada,

feliz e forte em si mesmo.

 

Amor é primo da morte,

e da morte vencedor,

por mais que o matem (e matam)

a cada instante de amor.

 

Carlos Drummond de Andrade, in O Corpo

seria bom se: encontrasse o que procuro!
música: U2 - I still haven't found what I'm looking for
publicado por Raquel às 21:09
link do post | comentar | favorito

Sábado, 23 de Outubro de 2010
publicado por Raquel às 14:02
link do post | comentar | favorito

Segunda-feira, 4 de Outubro de 2010

Teria passado a vida atormentado e sozinho

 

Teria passado a vida

atormentado e sozinho

se os sonhos me não viessem

mostrar qual é o caminho

 

umas vezes são de noite

outras em pleno de sol

com relâmpagos saltados

ou vagar de caracol

 

quem os manda não sei eu

se o nada que é tudo à vida

ou se eu os finjo a mim mesmo

para ser sem que decida.

 

Agostinho da Silva

seria bom se: andássemos todos acompanhados!
música: David Fonseca - It's just a dream
publicado por Raquel às 23:20
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim
pesquisar
 
Julho 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
14
15
16

18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


últ. comentários
Gostei. Muito!
Pois é... O Kant e o Cícero sabiam muito destas co...
Não ligues ao que essa senhora diz, a sério...
"Já não a amo, é verdade, mas tanto que eu a amei....
"e até a alma está húmida..." *
Florbela, será pedir assim tanto?...
Apenas dar por dar.
Digo e repito-me...Don't be like that, dear friend...
Dona Raquel, dona Raquel...Precisamos as duas de a...
Também tenho saudades dessas, todos os dias...E é ...

blogs SAPO


Universidade de Aveiro