I actually do...

Quinta-feira, 17 de Setembro de 2009

A Minha Solidão 

(Durante dias andei a ruminar estes versos)

  

A minha solidão

não é uma invenção

para enfeitar noites estreladas...

 

 ...Mas este querer arrancar a própria sombra do chão

e ir com ela pelas ruas de mãos dadas.

  

...Mas este sufocar entre coisas mortas

e pedras de frio

onde nem sequer há portas

para o Calafrio.

  

...Mas este rir-me de repente

no poço das noites amarelas...

- única chama consciente

com boca nas estrelas.

 

 ...Mas este eterno Só-Um

(mesmo quando me queima a pele o teu suor)

- sem carne em comum

com o mundo em redor.

 

 ...Mas este haver entre mim e a vida

sempre uma sombra que me impede

de gozar na boca ressequida

o sabor da própria sede.

 

 ...Mas este sonho indeciso

de querer salvar o mundo

- e descobrir afinal que não piso

o mesmo chão do pobre e do vagabundo.

 

 ...Mas este saber que tudo me repele

no vento vestido de areia...

E até, quando a toco, a própria pele

me parece alheia.

 

 Não. A minha solidão

não é uma invenção

para enfeitar o céu estrelado...

 

 ...mas este deitar-me de súbito a chorar no chão

e agarrar a terra para sentir um Corpo Vivo a meu lado.

 

José Gomes Ferreira

publicado por Raquel às 21:33
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim
pesquisar
 
Setembro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
18
19

20
21
23
24
26

27
28
29
30


últ. comentários
Gostei. Muito!
Pois é... O Kant e o Cícero sabiam muito destas co...
Não ligues ao que essa senhora diz, a sério...
"Já não a amo, é verdade, mas tanto que eu a amei....
"e até a alma está húmida..." *
Florbela, será pedir assim tanto?...
Apenas dar por dar.
Digo e repito-me...Don't be like that, dear friend...
Dona Raquel, dona Raquel...Precisamos as duas de a...
Também tenho saudades dessas, todos os dias...E é ...

blogs SAPO


Universidade de Aveiro